• LEMA

Ovos de Chocolate

Escrito por Carolina Britto de Matos

Está chegando uma das épocas mais esperadas pelos amantes de chocolate: a Páscoa. De uma data judaica, transformando-se em data cristã, hoje a Páscoa é muito mais lembrada por seu sentido comercial. Uma tradição que se popularizou bastante nessa data e é um dos grandes símbolos da Páscoa moderna é a de presentear alguém com ovos de chocolate. Mas você sabe quando surgiu essa pratica de usar ovos como presente?


Receber um ovo de chocolate é muito bom, aquele mistério ao abrir a embalagem para descobrir o que há dentro sempre traz uma sensação gostosa, não é mesmo? Mas nem todo mundo se rende a essa fantasia. Sempre tem aqueles que fazem de tudo pra sabotar os ovos de Páscoa pelos seus preços exorbitantes, lembrando a todos que vale muito mais a pena comprar o mesmo chocolate em formato de barra. Mas será que existe um motivo por traz desses preços?


Se você quer saber a resposta dessas perguntas, #VemComaLEMA que o texto de hoje é dedicado aos ovos de Páscoa!


Uma cultura enraizada

Ao longo da história, o ovo foi visto como um dos mais tradicionais símbolos associados com a fertilidade e com o ciclo e a renovação da vida. Com isso, os ovos de galinha, por exemplo, tornaram-se um item para presentear. Esses ovos eram decorados com pinturas relacionadas a suas crenças e seus modos de vida. Essa associação do ovo com a fertilidade esteve presente nos mais variados povos da Antiguidade.


Com a intenção de ampliar o seu número de fiéis, os clérigos adaptaram algumas antigas tradições e símbolos religiosos a eventos de ideário cristão. A partir de então, começaram a reproduzir imagens de Jesus Cristo e sua mãe, Maria, em pinturas de ovos.


Durante o período medieval, nobres e reis de condição mais privilegiada costumavam comemorar a Páscoa presenteando os seus com o uso de ovos feitos de ouro e cravejados de pedras preciosas. Até que chegássemos ao famoso ovo de chocolate, foi necessário o desenvolvimento da culinária e, antes disso, a descoberta do continente americano.


No século XVIII, confeiteiros franceses decidiram fabricar ovos de chocolate e decorar o seu interior com bombons. O costume fez sucesso e se consolidou durante o período da Páscoa, mas nem todos tinham acesso a essa mercadoria, pois, na época, o chocolate era um artigo muito caro.


Com o tempo, o preço do ovo de Páscoa foi se tornando mais acessível e esse item se transformou em um dos artigos mais populares da Páscoa. Atualmente, o comércio do ovo de Páscoa aquece o mercado todos os anos, gerando empregos e movimentando milhões de reais no Brasil e em outros países.


Produção de ovos de chocolate

Nós estamos acostumados a ver aquela variedade de ovos de Páscoa prontos para o consumo nos mercados, mas até que cheguem ali, eles passam por um longo processo.


O processo de fabricação de ovo de páscoa em escala industrial demora em torno de 80 horas ao todo. Ele é dividido em 9 etapas sendo elas:


1. Seleção de matéria prima: O primeiro passo de todo o processo é separar a matéria prima: leite em pó, licor de cacau, açúcar e manteiga. A quantidade de cada produto varia de acordo com o tipo de chocolate que se deseja produzir.


2. Conchagem: Receita definida, a matéria prima é adicionada a concha, máquina que mistura os ingredientes. Esse é o processo mais demorado na produção do chocolate, podendo demorar mais de 3 dias sem parar. O tempo do processo de conchagem varia de indústria para indústria e ele influenciará diretamente no sabor do chocolate.


3. Pingadeira: Chocolate pronto, ele será bombeado para a pingadeira. Os moldes passam por uma esteira e a maquina despeja a quantidade necessária de chocolate para a fabricação de determinado ovo. Os moldes são fechados e enviados para a área de centrifuga.


4. Centrifugação: É na área de centrifuga que os ovos cristalizam e ganham seu formato. Dessa forma é necessário que essa área possua temperaturas bem baixas. Na centrífuga, as formas giram de forma que o chocolate se distribua por igual pelo molde.


5. Refrigeração: A finalização da cristalização do chocolate é feita em um tubo de resfriamento. Esse tubo é um refrigerador super potente que alcança temperaturas baixíssimas. Essa parte é importante para que os ovos ganhem consistência e não quebrem tão facilmente – seja nas embalagens, transporte ou até mesmo na gôndola do supermercado.


6. Controle de qualidade: Seguindo a linha de produção, os ovos são retirados da forma e as duas metades são juntadas. Os quebrados voltam ao início do processo, assim como as formas sujas, que serão reutilizadas.


7. Brindes e recheios: Os brindes (brinquedo) e/ou bombons de chocolate são adicionados aos ovos. Aqui, há uma primeira pesagem. Os ovos que não têm peso correto ou apresentam alguma falha na produção são automaticamente excluídos e voltam para o estágio inicial.


8. Embalagem: Já pronto, o ovo vai para a embalagem final. O ovo ganha o embrulho referente ao seu tipo com fitilho e adesivo da marca para fechar. Ao final o ovo é pesado novamente para ter certeza que está padronizado, caso contrário, ele será descartado e voltará para o início do processo.


9. Finalização: Com tudo pronto, é hora dos ovos irem para as caixas. Os ovos são postos em caixas de papelão adequadamente adesivadas no fundo para que não se solte facilmente e com divisórias internas para que os ovos não se batam e, consequentemente, quebrem. Dali seguem para serem vendidos nas lojas para o consumidor final.


Ovo X Barra

Mas a final, por que os ovos de Páscoa são tão mais caros que as barras de chocolate se os dois são feitos com a mesma matéria prima?

Como visto anteriormente, o processo de produção de ovos de Páscoa envolve máquinas específicas que não são utilizadas na produção do chocolate em barra. E devido à sazonalidade (os ovos são produzidos apenas em uma época específica do ano), essas máquinas ficam paradas por um significativo período de tempo, gerando custo não apenas durante o seu uso, mas também na sua parada. Enquanto estão paradas, elas ocupam espaço, precisam de manutenção e limpeza mesmo quando não são utilizadas, e tudo isso tem um custo que precisa ser agregado ao produto.


Além disso, a produção do ovo é mais complexa. Enquanto a maior parte da produção das barras de chocolate é automatizada, os ovos de Páscoa requerem muito mais cuidado em suas etapas, necessitando de mais mão de obra humana, que deverá ser assalariada.


Outro fator que encarece os ovos de Páscoa é o investimento em inovação. Todo ano tem algo novo no mercado. Para trazer essa sensação de mistério dos ovos de Páscoa, as produtoras sempre buscam mudar seus produtos, seja na embalagem, no formato do ovo ou no seu recheio, sempre há alguma novidade. Essas mudanças, por menores que sejam, sempre irão gerar custos.


Devido ao seu formato e a sua embalagem, os ovos de Páscoa ocupam mais espaço e isso encarece o seu transporte. Além disso, por serem mais frágeis que as barras, haverá muito mais perda de produto durante seu transporte e armazenamento, gerando mais despesas ao fabricante.


A produção de ovos de Páscoa vai muito mais além de sua matéria prima, todo esse processo de inovar, fabricar, distribuir, armazenar e disponibilizar de forma diferenciada geram um custo agregado. Esse custo vai ser repassado àqueles que irão usufruir de toda a magia que apenas os ovos de Páscoa possuem.


E você, já comprou seu ovo de Páscoa?


Referências Bibliográficas:

Sganderla, K. Sobre Analistas de Processos e Ovos de Páscoa. Disponível em: <https://blog.iprocess.com.br/2014/04/sobre-analistas-de-processos-e-ovos-de-pascoa>

Rahal, M. Visitando uma Fábrica de Ovos de Páscoa. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=xO47ag0f4v8>

Neves, D Ovo de Páscoa. Disponível em: <https://mundoeducacao.uol.com.br/pascoa/ovo-pascoa.htm#:~:text=O%20Ovo%20de%20P%C3%A1scoa%20feito,a%20mais%20importante%20dessa%20religi%C3%A3o.>



Posts recentes

Ver tudo